Tipos de E-Commerce detalhados um por um [Atualizado 2019]

O comércio eletrônico vem movimentando bastante dinheiro e você sabe disso, para entender melhor os tipos de e-commerce e como eles funcionam, fizemos um conteúdo incrível para você ler agora.

Tipos de e-commerce para mulheres

O termo e-commerce está cada vez mais em alta na internet, cada vez mais as pessoas têm se interessado por ele. Não apenas como clientes, mas também como investidores e empreendedores.

O faturamento do e-commerce cresce ano após ano.

Quem busca empreender de forma sólida e sustentável deve se preocupar em buscar o e-commerce, são diversas opções, vamos te mostrar mais a frente no texto.

Antes de te mostrar os tipos de e-commerce, você precisa entender que os números atuais e as previsões para o futuro do e-commerce são extremamente favoráveis. O melhor é que esse modelo de negócio tem uma série de particularidades que fazem com que o meio de compra e venda seja adaptável a qualquer tipo de setor.

 

Afinal, o que realmente é um e-commerce?

Você deve se lembrar que há certo tempo, a maioria das pessoas tinham medo de realizar compras online. Era perigoso, você colocava seus dados em risco e nenhum dos tipos de e-commerce passava a segurança necessária para o cliente.

Felizmente, hoje o ato de fazer compras online é algo natural e confortável.

Um e-commerce é caracterizado pela realização de trocas comerciais no ambiente digital. Porém, essas transações não englobam apenas compra e venda de produtos físicos, mas sim todas as etapas do processo online, como a gestão de estoque e logística.

Outro ponto a se destacar é que ele não existe sem a presença de uma plataforma eletrônica que o suporte. E ela deve ser bem escolhida, pois dependendo dos tipos de e-commerce que você irá trabalhar, cada uma terá funcionalidades específicas.

Essas características e funcionalidades dessas plataformas variam bastante, a melhor maneira para escolher a ideal é olhando para o que você vende e tendo atenção especial ao seu público-alvo.

 

O surgimento do e-commerce

O surgimento do e-commerce está ligado ao próprio surgimento da internet.

Antes da internet que conhecemos nos dias atuais, existiam predecessores do compartilhamento de informações entre computadores, como por exemplo, a ARPAnet, desenvolvida ainda nos anos 60.

Naquela época não existiam todos esses tipos de e-commerce que vemos hoje, ela basicamente conectava as quatro mais importantes universidades dos Estados Unidos. Seu principal objetivo era garantir a manutenção de comunicações cruciais no caso de um ataque nuclear.

Tipos de e-commerce detalhados

Logo em 1982, a ARPAnet evoluiu para a TCP/IP, ou Transmission Control Protocol e Internet Protocol, que é a base do sistema que temos atualmente. Na metade dessa década, foi disponibilizado um serviço chamado Eletronic Mail, que permitia a compra de itens diretamente de mais de 100 comerciantes online. Ou seja, um dos primeiros protótipos do comércio online, dando origem a tantos outros tipos de e-commerce.

Mas até chegar nesse estágio, algumas iniciativas básicas de comércio eletrônico foram desenvolvidas. O projeto era fazer as compras online por meio de uma televisão modificada, chamada de Videotex, inventada por Michael Aldrich, em 1979.

O passo principal para lançar as bases do e-commerce atual, foi o advento do hipertexto e da interface dos primeiros navegadores da internet. E isso só foi possível a partir das primeiras contribuições de Tim Berners-Lee, em 1990. Essa foi a estrutura básica para a internet que conhecemos antes. Depois disso, os computadores começaram a se popularizar e a internet passou a ser indispensável para usuários comuns. Isso permitiu o surgimento do e-commerce nas proporções que você pode perceber hoje.

 

Estrutura do e-commerce

Para o e-commerce ser viável em grandes proporções, foi preciso desenvolver muitas tecnologias específicas. A primeira que podemos destacar, foi a criação de um navegador que permitisse fácil acesso à internet por usuários comuns e que fosse disponibilizada de forma ampla.

Um dos primeiros modelos foi o Mosaic, lançado em 1933. Logo no próximo ano, foi lançado o Netscape 1.0, que foi um dos navegadores mais usado no mundo, na primeira fase da popularização da internet. Umas das principais funcionalidades que ele apresentava, era de segurança, que até hoje ela é usada em qualquer dos tipos de e-commerce, o SSL (Secure Socket Layer).

Esse protocolo de segurança é responsável pela criptografia de mensagens ponta a ponta, ou seja, isso assegura a privacidade de informações compartilhadas na internet. Isso foi um fato fundamental para as pessoas se sentirem mais seguras de compartilhar seus dados pessoais em sites.

Já no ano de 1994, começaram a surgir os primeiros serviços virtuais de vendas em cartão de crédito online, com o CyberCash e o First Virtual.

 

Afinal, quais são os tipos de e-commerce?

 

  1. B2C (Business to costumer)

Quando pensamos em qualquer tipo de comércio, não apenas o eletrônico, o que vem a mente são as lojas B2C, aquelas que promovem vendas entre empresas e consumidores finais. Pois, esse modelo é o mais comum, já que os grandes varejistas operam nesses moldes.

Pensando em um faturamento cada vez maior, as empresas que optam pelo B2C, devem gerar cada vez mais informações sobre os seus produtos.

Isso acontece porque a concorrência nesse tipo de e-commerce é grande, e os sites, para se destacar frente aos outros precisam fornecer o máximo de informações para atrair os clientes a fazerem a escolha certa.

Seja você um grande varejista ou um negócio pequeno, ainda em estágio inicial, se o seu público é formado pelo consumidor final, o modelo B2C é a melhor opção para você.

 

  1. B2B (Business to business)

Já nesse modelo, ambas as partes, o vendedor e o comprador são empresas. Um bom exemplo para entender o B2B, são as empresas que vendem material para escritório, que também podem atuar no B2C.

Preste atenção, se você geralmente comercializa produtos adquiridos em grande escala, esse provavelmente é o modelo ideal para o seu negócio.

A escolha do B2B dentre os vários tipos de e-commerce se justifica pelo fato das vendas acontecerem em maior quantidade.

Uma característica forte é que geralmente os negócios vendem e obtém uma grande quantidade de bens. Dessa forma, a sua empresa pode exigir que seja comprado um número mínimo de produtos para fechar a venda.

 

  1. Marketplace

O marketplace também é considerado um dos tipos de e-commerce que geram e movimentam muito dinheiro em todo o mundo. Em contrapartida, existe uma diferença entre os modelos tradicionais de e-commerce e o marketplace.

No marketplace, acontece uma mediação com vários outros lojistas, podendo vender as suas mercadorias. Como por exemplo, o Mercado Livre e a Americanas.com.

Além disso, a modalidade marketplace permite duas outras formas principais de comercialização eletrônica, sendo elas:

 

  • C2C (Consumer to Consumer)

Esse modelo é quando acontece a compra e venda entre pessoas físicas, geralmente essas transações são feitas por meio de marketplaces e não se limitam a produtos físicos.

 

  • C2B (Consumer to Business)

Nesse caso, é quando empresas compram de pessoas físicas, pode parecer estranho, mas isso geralmente não acontece com produtos físicos. Empresas podem contratar pessoas para serviços, principalmente de freelancers, com negócios pontuais.

 

  1. B2G (Business to Government)

Os tipos de e-commerce não se limitam apenas a consumidores e empresas, existem também as organizações que vendem para o governo.

Esse modelo também é conhecido como B2A (Business to Administration)

Esse modelo é muito interessante quando a sua empresa já comercializa produtos ou serviços adquiridos por órgãos públicos. Mas para isso, você precisa entender como funcionam as licitações, isso pode ser uma vantagem na escolha desse tipo de e-commerce.

 

  1. B2E (Business to Employee)

Nesse quinto tipo de e-commerce, a empresa vende diretamente para os seus colaboradores, isso permite que eles consumam as mercadorias da própria empresa.

Por meio de uma rede interna da empresa, os funcionários poderão ter acesso a produtos ou serviços exclusivos. Geralmente, esses itens são usados para recompensar os funcionários com descontos exclusivos.

O B2E pode ser um bom negócio para empresas que possuem margens de lucro maiores, porque o número de vendas não será tão grande, já que elas ficam restritas ao público interno.

 

  1. Social commerce

Quando uma empresa usa o modelo Social commerce, ela usa as suas redes sociais para atração de clientes.

Algumas plataformas permitem até a criação de lojas virtuais, exibindo os produtos com informações e valores. Além disso, com facilidade, ela pode direcionar o cliente para a página de checkout, aumentando o tráfego ao site.

Essa modalidade é bem interessante, sempre que o empreendimento está em crescimento. Use essa estratégia para aumentar o alcance, aproveite o alto engajamento das pessoas nas redes sociais e venda para elas.

 

  1. Mobile commerce

Um dos tipos de e-commerce que mais crescem atualmente em todo o mundo. A expectativa que o número de compras pelo smartphone cresça ainda mais nos próximos anos, quem pretende aumentar cada vez mais o faturamento, precisa estar atento.

Independente do seu segmento, com a evolução constante dos smartphones, o número de pessoas que trocaram o computador por dispositivos móveis cresce a cada pesquisa. E as ações por esses dispositivos estão ficando cada vez mais pessoais, principalmente transações comerciais.

É uma excelente oportunidade para todos os empreendedores.

 

  1. TV commerce

Mesmo que esse tipo de e-commerce ainda não tenha sido colocado completamente em prática, ele apresenta ótimas oportunidades para o futuro. Tendo em vista que a tendência para o multicanal está em alta.

O TV commerce une as funcionalidades das SmartTVs ao comércio eletrônico, dessa forma, ele permite que aja interação do telespectador com o que está sendo visto. Elevando a níveis maiores o conceito de entretenimento.

 

  1. Subscribe commerce

Também conhecido como clube de assinaturas, é um dos tipos de e-commerce mais em alta no momento. Ele se baseia em recorrência, é uma modalidade para o mundo digital de serviços tradicionais, como a assinatura de revistas, jornais e TV a cabo.

O consumidor final concorda em fazer um pagamento mensal para receber todos os meses o serviço esperado. Nesse tipo de e-commerce, a experiência do cliente é o foco principal.

 

  1. Mercado de infoprodutos

Mesmo não se tratando de uma nova modalidade de e-commerce, o mercado de infoprodutos merece uma atenção mais que especial. Sua principal diferença está na comercialização de produtos digitais, ao invés de vender produtos físicos, você pode vender, softwares, ebooks, treinamentos etc.

Ou seja, é uma maneira de vender informação digitalmente, esse modelo está se popularizando no Brasil, mas nos Estados Unidos ganhou força há bastante tempo.

O mais vantajoso é que não é preciso ter uma empresa para vender infoprodutos, basta ter uma solução para um certo nicho e oferecê-la no melhor formato para quem vai consumir.

 

O comércio eletrônico já é uma realidade há bastante tempo no Brasil, mas é preciso entender os diferentes tipos de e-commerce para saber qual se adapta melhor ao seu negócio.

Qual desses você vê mais vantagem em usar atualmente? Deixe um comentário aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *